Osteoblasts behavior on PEEK surfaces with different bioactives – pilot study






Autores: Carlota Mendonça, Mariana Cruz, Gabriella Juanito, Joana Marques, Filipe Silva, Georgina Miranda, Ricardo Maggini, João Caramês, António Mata
Instituição: Faculdade de Medicina Dentária da Universidade de Lisboa
Valor da bolsa: 200.00€
Apresentação durante o evento CED-IADR/NOF Oral Health Research Congress 2017 em Viena de Áustria, Áustria | 2017-09-21

Resumo:
O objetivo deste estudo in vitro, foi comparar o comportamento de osteoblastos fetais humanos (hFOB1.19) em novas superfícies implantares baseadas em Polieteretercetona (PEEK): PEEK puro (controlo), PEEK com hidroxiapatite (HA) ou PEEK com fosfato tricálcico ß (ß-TCP).

Materiais e métodos: Foram produzidos discos de PEEK puro, PEEK com 5% de HA ou PEEK com 5% de ß-TCP por uma nova técnica de sinterização por pressão. Os osteoblastos humanos foram cultivados nos discos durante 15 dias por métodos previamente descritos. A morfologia e adesão celulares foram observadas por microscopia eletrónica de varrimento (SEM) após 24h de incubação. A viabilidade e a proliferação celulares foram avaliadas nos tempos pré-determinados (1,3,7 e 14 dias) através de um método comercial baseado na técnica da resazurina. A atividade da fosfatase alcalina (ALP) foi avaliada aos 7 e 14 dias. Todos os resultados foram apresentados como intensidade média de fluorescência (AU) ± desvio padrão (DP). Para comparação entre grupos recorreu-se a ANOVA (post-hoc de Tukey) através de um software estatístico apropriado, sendo considerados valores estatisticamente significativos com p <0.05.

Resultados: Na avaliação de SEM, às 24 horas, verificou-se uma adesão celular semelhante em todos os grupos em estudo. A viabilidade e proliferação celulares aumentaram ao longo do tempo em todos os grupos, sendo as diferenças observadas estatisticamente significativas no grupo de PEEK em comparação com PEEK-HA e PEEK-ßTCP (p<0.05), com excepção das 24h de cultura. As maiores discrepâncias foram observadas aos 14 dias de cultura: 44,2 ± 2,8 e 28,1 ± 2,8 AU’s para comparações PEEK / PEEK-HA e PEEK / PEEK-ßTCP, respetivamente (p <0.05). No grupo de PEEK-ßTCP observou-se superior viabilidade celular quando comparada com PEEK-HA aos 7 e 14 dias (p <0.05). No entanto, os níveis de ALP foram maiores no grupo de PEEK-ßTCP em relação aos restantes grupos, aos 7 e 14 dias (p <0.05).

Conclusão: Todos os grupos apresentaram aumento da viabilidade, proliferação e diferenciação celulares, embora a superfície PEEK apresentasse maior viabilidade e proliferação em comparação com PEEK-HA e PEEK-ßTCP. No entanto, esses resultados também sugerem que as superfícies PEEK-ßTCP demonstram uma maior diferenciação celular. Outros estudos devem ser realizados para caracterizar a diferenciação e mineralização de osteoblastos nestas novas superfícies desenvolvidas.


expandir

Anexos disponíveis

pdf 6.75 MB | Bolsa: poster ou comunicação oral
XXXVIII Congresso Anual da SPEMD Parcerias SPEMD Comemorações de Santa Apolónia 2018
Agenda
fev
27

Noites SPEMD

Injetáveis estéticos e terapêuticos na perspetiva do Médico Dentista

Lisboa

mar
10

Eventos

Comemorações de Santa Apolónia 2018

Hotel Mélia Ria Aveiro

mar
13

Noites SPEMD

Tecnologia digital em implantologia

Porto

mar
16

Congressos patrocinados SPEMD

XXVII Reunião Anual de Medicina Dentária e Estomatologia de Coimbra

Coimbra

mar
16

Congressos patrocinados SPEMD

2º Encontro Latino-Americano de Cronobiologia e Medicina do Sono

Lisboa

© 2000-2018. Todos os direitos reservados