Implant and Oral Rehabilitation Congress IORC2020 - ADIADO DEVIDO À PANDEMIA PELO COVID-19

De 2020-04-24 a 2020-04-25
Patrocínio Científico SPEMD ID: 122





http://www.iorc.pt
Av. Columbano Bordalo Pinheiro 50- 3andar 1070-064 Lisboa
1070-064 Lisboa
Portugal

tsouchen@gmail.com
Telefone: 351919774343

Comissão científica:
Professor João Caramês (Presidente), Professor Helena Francisco (Co-Presidente), Professor André Chen, Professor António Vasconcelos Tavares, Professor Duarte Marques, Professor Fátima Bizarra, Professor Maria Carlos Quaresma

Programa provisório:
Programa científico *

1-Galip Gurel - Comunicação digital para odontologia invasiva mínima - 3 horas - Sexta dia 24 das 15-18 horas Auditório A
2-Francesco Amato - Diretrizes clínicas para a reabilitação de implantes de dente único e opções de tratamento para dentes com comprometimento periodontal na área estética - 1,5 horas - Sábado 25 das 9.30 - 11.00 Auditório A
3-Ricardo Faria e Almeida - Como podemos lidar com complicações de tecidos moles? - 30 Mn Sábado 25 das 15-15.30 Auditório A
4-Jorge André Cardoso e Paulo Carvalho- Reabilitação Total de implantes - decisões orientadas por dento-gengivo-labial para gengiva natural versus prótese - 1,5 horas - Sábado 25 das 16.30- 18.00 Auditório A
5-Filipe Freitas- Patologia mais frequente da cavidade oral - 30 Mn - Sábado 25 das 14.30 - 15.00
6-José María Suárez Feito- O uso de princípios oclusais básicos para gerenciar forças na reabilitação minimamente invasiva da dentição avançada avançada - 60 Mn - Sexta 24 das 11.30 - 12.30 Auditório A
7-Sammy Noumbissi - Implantes cerâmicos de zircônia: uma alternativa viável em Medicina Dentária- 60 Mn Sexta 24 das 12.30 - 13.30 Auditório A
8-Gonçalo Caramês - Procedimentos de aumento de tecidos moles e duros para promoção da saúde e estética dos peri-implantes - 30 Mn - Sexta 24 das 9.30 - 10.00 Auditório A
9-Artur Simões - ´Zircônia monolítica na reabilitação de implantes em pacientes edêntulos - 30 Mn - Sábado 25 das 9.30 - 10.00 - Auditório B
10-Sara Casado - Higiene Oral em Reabilitação Oral Estética - chaves para o sucesso - 30 Mn. Sábado 25 das 15.00 - 15.30 - Auditório B
11-Patrícia Gouveia - Manutenção da saúde dos tecidos peri-implantares - 30 Mn - Sábado 25 das 15.30 - 16.00 -Auditório B
12-José Garcia - A Manutenção de Implantes Dentários: Abordagem Clínica e Workflow - 30 Mn - Sábado 25 das 16.00 - 16.30 - Auditório B
13-João Neto - implantologia em zona posterior e em zona estética - 30 Mn Sábado 25 das 10.00 - 10.30 - Auditório B
14- Gonçalo Assis - novas abordagens no tratamento cirúrgico da peri-implantite - 30 Mn Sábado 25 das 16.30 - 17.00 - Auditório B
15- João Caramês - reabilitação total em implantologia - 30 Mn Sábado 25 das 12.30 - 13.00 Auditório A
16- Joachim Maier - Novas tendências em Prótese Dentária - 30 Mn Sábado 25 das 10.30 - 11.00 - Auditório B
17- Carlos Falcão- Planeamento Digital em reabilitação Total- 30 Mn Sábado 25 das 11.30 - 12.00 Auditório A
18 - Marat Awdalijan - Técnica Previsível para Leitura de cor - 1,5 horas Sábado 25 das 11.00 - 12.000 Auditório B

Carga Horária Total : 16 horas

Oradores:
  • -Galip Gurel
    • Resumo: As técnicas e os materiais dentários modernos podem ser insuficientes se o resultado final obtido não corresponder às expectativas estéticas do paciente.
      O nosso principal objectivo é criar um desenho do sorriso cujo resultado final seja previsto com precisão desde o primeiro dia. Na maioria dos casos, o médico dentista constrói esse desenho por si mesmo, diretamente na boca do paciente. No entanto, há situações nas quais o trabalho é deixado, em grande parte, do lado do ceramista. Independentemente disso, o mais importante é que esse desenho corresponda às necessidades funcionais, biológicas e emocionais do paciente.
      Para obter esses resultados, precisamos de um trabalho de equipa multidisciplinar. Todos os elementos da mesma (incluindo dentistas, técnicos de laboratório e paciente) devem estar cientes do planeamento e do resultado final desde o início. Assim sendo, a chave principal para o sucesso resume-se à ´comunicação´: comunicação com o paciente, bem como a comunicação do laboratório com os médicos dentistas, desde o início do caso até ao final.
      As ferramentas digitais que utilizamos diariamente para manter as nossas redes sociais e profissionais ativas em conjunto com as crescentes inovações em tecnologias CAD / CAM e em impressão 3D não devem ser um problema, seja no laboratório, seja no gabinete. Independentemente da distância, a comunicação digital faz com que todos trabalhem como uma equipa coordenada e sinérgica.
      O protocolo apresentado enfatiza a importância da comunicação correta tanto para melhorar o diagnóstico como a previsibilidade das reabilitações estéticas.
  • Francesco Amato
    • Resumo: O tema abordado na apresentação é o tratamento periodontal e peri-implantar de casos unitários na região anterior da maxila: quando salvar um dente e que tipo de tratamento periodontal escolher, bem como, quando extrair um dente e como desenvolver o local do implante.
      Três situações clínicas diferentes serão descritas:
      Tipo 1. Casos clínicos onde o osso alveolar e os picos ósseos adjacentes estão intactos.
      Tipo 2. Casos clínicos em que o osso alveolar está comprometido, mas os picos ósseos adjacentes estão intactos.
      Tipo 3. Casos clínicos onde se encontram comprometidos tanto o osso alveolar quanto os picos ósseos adjacentes.
      O diagnóstico, o plano de tratamento, o tempo e as opções de tratamento serão discutidos para cada categoria, focando: colocação imediata ou tardia do implante, seleção do implante, manuseamento cirúrgico e ortodôntico de tecidos duros e moles, diferentes procedimentos de aumento, tipo de enxerto e características da provisionalização de implantes no condicionamento de tecidos moles.
      Prós e contras de cada opção terapêutica serão analisados.
      A experiência clínica e a decisão baseada na evidência serão combinadas, a fim de fornecer ao clínico diretrizes práticas para alcançar resultados estéticos previsíveis.
  • -Ricardo Faria e Almeida
    • Resumo: Atualmente, o tratamento com implantes é um tratamento previsível, com altas taxas de sobrevivência. De qualquer forma, não está isento de complicações. As complicações mais desafiantes em redor dos implantes dentários são as complicações biológicas e estéticas, porque estão diretamente relacionadas ao insucesso do tratamento em termos de perceção do paciente. O objetivo desta palestra é discutir as diferentes abordagens na resolução destas complicações, apresentando-se os fatores mais importantes que devemos controlar para evitar problemas estéticos e também como resolver o problema de maneira integrada, na abordagem prótese-cirúrgica.
  • Jorge André Cardoso e Paulo Carvalho
    • Resumo: Tem havido um grande esforço clínico para criar reabilitações totais sobre implantes onde o componente protético é limitado à estrutura dentária, permitindo manter os tecidos periodontais naturais. Essa ´abordagem da gengiva natural´ apresenta alguns desafios interessantes: - A técnica cirúrgica para limitar a perda ou até melhorar os tecidos duros e moles. - A previsibilidade da arquitetura dos tecidos moles em torno dos implantes. - A dinâmica labial e a integração facial que podem minimizar ou aumentar os riscos estéticos potenciais e ser decisivas para o planeamento do tratamento. Os autores fornecerão diretrizes claras para o diagnóstico facial e periodontal, técnicas cirúrgicas e detalhes protéticos para realizar a
  • Filipe Freitas
    • Resumo: O Higienista Oral, pelo seu contacto regular com o doente, encontra-se numa posição privilegiada para a identificação de diversas alterações patológicas da cavidade oral, numa fase inicial do seu desenvolvimento. Nesta conferência será feita uma revisão, devidamente ilustrada com casos clínicos, das patologias que ocorrem mais frequentemente nos tecidos orais.
      A apresentação das lesões será feita de acordo com as manifestações clínicas de cada entidade, designadamente o tipo de lesão elementar e a sua coloração, por forma a facilitar a discussão do diagnóstico diferencial. Serão ainda discutidos os aspetos mais relevantes relativamente ao tratamento das diferentes doenças de etiologia reativa, infecciosa, imunológica e neoplásica.
  • José María Suárez Feito
    • Resumo: Os recentes avanços nos materiais tornaram possível a restauração minimamente invasiva, estética e funcional, das perdas de estrutura causadas pelo desgaste dentário. Esta abordagem representa uma alternativa mais conservadora e económica para o paciente quando comparada com os protocolos convencionais que envolviam reduções mais invasivas dos dentes, reabilitação com coroas totais e tratamentos endodônticos eletivos. Embora os aspetos biológicos e estruturais dos dentes sejam preservados dessa maneira, é crucial que as forças exercidas sobre as restaurações sejam gerenciadas ao restabelecer-se um esquema oclusal de stress mínimo para que haja sucesso biomecânico a longo prazo. Discutiremos com base na evidência atual tópicos como a posição condilar, dimensão vertical, contatos oclusais e a guias anteriores e como é que estes nos ajudarão no nosso objectivo: reabilitações minimamente invasivas, funcionais, estéticas, previsíveis e duradouras.
  • -Sammy Noumbissi
    • Resumo: Actualmente, a maioria dos implantes colocados são de titânio ou ligas de titânio, sendo o seu sucesso a longo prazo inegável. No entanto, ao longo dos anos, relatórios de sensibilidade ao metal e outras preocupações com a saúde resultantes destes materiais têm alimentado a procura por materiais biocompatíveis alternativos. Pesquisas científicas recentes demonstraram claramente a ligação entre os materiais dos implantes e a incidência de peri-implantite e outros problemas sistémicos. A descoberta de cerâmicas avançadas e o desenvolvimento de biocerâmicas, como a zircónia, ampliaram o leque de aplicações da cerâmica na implantologia. Provou-se que a zircónia é um material altamente biocompatível, bioinerte e estruturalmente estável, vindo-se a estabelecer rapidamente como uma alternativa viável ao titânio. Esta apresentação abordará a zircónia como uma biocerâmica implantável, as indicações e os benefícios da sua utilização em detrimento do titânio. Serão apresentados casos clínicos realizados com implantes e próteses em zircónia.
  • Gonçalo Caramês
    • Resumo: Os implantes dentários são uma opção de tratamento altamente previsível para substituir dentes perdidos devido a agenésia, doença ou lesão dentária. No entanto, um dos principais desafios da atualidade é saber como manter os tecidos moles saudáveis ao redor dos implantes e determinar como é que isso é influenciado pelos procedimentos de aumento de tecidos moles e duros nos casos de deficiências na crista alveolar.
      O objetivo desta apresentação é auxiliar os clínicos a compreenderem o efeito dos procedimentos de aumento de tecidos moles e duros na manutenção e estética de tecidos peri-implantares saudáveis.
  • Artur Simões
    • Resumo: A prótese total suportada por implantes é amplamente aceite como uma modalidade de tratamento para pacientes desdentados, apresentando altas taxas de sobrevivência a longo prazo. Com a introdução do CAD-CAM, as estruturas em zircónia tornaram-se cada vez mais populares como material alternativo no campo da prótese, com taxas de sucesso promissoras. Estruturas monolíticas em zircónia com recobrimento em superfícies não funcionais têm sido propostas. Empiricamente, esse design alternativo apresenta o potencial de reduzir a taxa de complicações mecânicas devido à eliminação da interface zircónia / porcelana das superfícies funcionais. No entanto, excluindo estudos com amostras reduzidas que parecem mostrar taxas mais baixas de fratura da cerâmica, as evidências clínicas para esse tipo de reabilitação ainda são escassas. Nesta apresentação será discutida a literatura mais recente sobre o tema, bem como vantagens e desvantagens das restaurações monolíticas, recomendações clínicas e procedimentos laboratoriais passo a passo. Serão apresentados casos clínicos, do planeamento à reabilitação final.
  • Sara Casado
    • Resumo: Com o desenvolvimento de novas técnicas e materiais em Medicina Dentária, surgem novos desafios para os profissionais de saúde oral, tanto ao nível do planeamento e escolha de materiais como nas estratégias de manutenção das reabilitações. Sendo a longevidade e a manutenção das restaurações executadas um fator crucial para o sucesso a longo prazo, é de extrema importância o conhecimento e o domínio das técnicas de higiene e manutenção, não só no consultório dentário, mas também, através da correção e instrução higiénica, com o intuito de respeitar a biologia do paciente, sem comprometer as restaurações existentes.
      Num momento em que a demanda por tratamentos estéticos minimamente invasivos aumenta exponencialmente, é da responsabilidade do higienista oral dar a conhecer ao paciente as possibilidades terapêuticas existentes, bem como a técnica ideal para o cuidado e manutenção das restaurações. Pretende-se assim discutir indicações terapêuticas, técnicas de higiene oral, manutenção e instruções de higiene a pacientes alvo de reabilitações estéticas.
  • Patrícia Gouveia
    • Resumo: À medida que o tratamento com implantes se torna parte da terapia convencional em medicina dentária, os profissionais de saúde oral devem implementar protocolos para atendimento individualizado, sistemático e contínuo de suporte dos tecidos peri-implantares. Portanto, é necessário não apenas identificar o estado de saúde ou doença dos tecidos peri-implantares, mas também as técnicas mais eficazes para manter a sua saúde - quais são os métodos mais eficazes de higiene? É necessário remover as estruturas protéticas? Com que frequência?
  • José Garcia
    • Resumo: A reabilitação oral com implantes dentários é uma técnica utilizada, hoje em
      dia, em diversos casos clínicos, tendo como objectivo uma recuperação funcional e estética de prognóstico favorável a longo prazo.
      A apresentação pretende abordar a necessidade de adaptação e adoção de novas dinâmicas nas consultas de manutenção de implantes.
  • João Neto
    • Resumo: Ainda com uma curta experiência profissional, de 14 anos de prótese dentária, reparo que houve uma evolução nos procedimentos técnicos e clínicos para a realização das reabilitações.
      É minha intenção partilhar as técnicas de confeção e de comunicação que considero imprescindíveis para realizar trabalhos sobre implantes na zona posterior e na zona estética com melhor qualidade e previsibilidade.
  • Gonçalo Assis
    • Resumo: Com a centralidade crescente do diagnóstico e tratamento das doenças periimplantares, urge a criação de atitudes e estratégias de tratamento que permitam aos doentes a manutenção de implantes a longo prazo de forma previsível. O armamentário de técnicas pode incluir o tratamento cirúrgico e não cirúrgico, que podem atuar de forma complementar e sinérgica. Esta conferência tem como objectivo a comunicação de novas técnicas no tratamento peri-implantar cirúrgico, alicerçadas na compreensão da etiologia da doença e na aplicação de novas tecnologias entretanto disponíveis. O programa incluirá uma atualização teórica destes conceitos, centralizando a sua aplicabilidade clínica.
  • João Caramês
    • Resumo: A reabilitação do paciente edêntulo utilizando implantes tem sido considerada pela comunidade científica, uma opção de tratamento de elevada previsibilidade a médio e a longo prazo.
      No entanto, em casos clínicos de grande atrofia óssea, tanto na maxila como na mandíbula, em que a quantidade e qualidade do osso presente é manifestamente reduzida, a colocação de implantes para reabilitação total constitui um verdadeiro desafio.
      Deste modo, diferentes técnicas têm sido desenvolvidas nas duas últimas décadas, sendo as opções mais utilizadas: a carga imediata, o protocolo de extrações seriadas, a colocação de implantes angulados, os implantes curtos, a elevação de seio maxilar, os implantes pterigoides e zigomáticos.
      Existem critérios rigorosos que devem orientar a elaboração de um plano de tratamento para selecionar a técnica mais adequada e garantir a previsibilidade dos resultados biológicos, estéticos e funcionais.
      Esta palestra irá rever dados recentes da literatura sobre as diferentes opções em reabilitação total implanto-suportada, dando ênfase ao diagnóstico, planeamento, assim como às diversas técnicas de tratamento cirúrgico e prostodôntico.
  • Joachim Maier
    • Resumo: A integração do técnico de laboratório em implantologia é hoje em dia uma realidade constante : é objectivo desta palestra fazer um step-by-step de alguns conceitos de reabilitação.
  • Carlos Falcão
    • Resumo: A integração de protocolos digitais é uma realidade presente e um certo futuro na implantologia dentária.
      O estado da arte digital visa essencialmente simplificar os atos clínicos com maior previsibilidade e velocidade, com um claro benefício para o paciente.
      A tecnologia digital também permitiu a integração de tecnologias outrora difíceis de dominar, como guias de redução óssea, scanners faciais, guias cirúrgicos e outros protocolos protéticos.
      A parte mecânica dos protocolos é sem dúvida importante.
      No entanto, é na área de Biologia e Fisiologia que essas tecnologias digitais fazem diferença em relação às tecnologias convencionais.
      Nesse contexto, esta conferência tem como objetivo mostrar em que pontos a tecnologia digital chegou para ajudar a biologia peri-implantar, confrontando bioquímica, biologia, estética e função.
  • Marat Awdalijan
    • Resumo: Nosso objetivo em Medicina Dentaria estética é imitar o dente natural com a maior precisão possível. Um dos nossos maiores desafios é combinar a tonalidade das restaurações anteriores, especialmente em casos complexos de coroa com preparações descoloridas ao lado de uma coroa de implante. O fator número um que estava faltando e causou resultados insatisfatórios é a previsibilidade. Não conseguimos detectar em que parte do processo estavam os erros, qual foi a influência de cada camada: subestrutura, dentina, efeitos internos, esmalte no resultado final. Após uma pesquisa extensa, é apresentada uma inovação na correspondência de tons que usa inteligência artificial para resolver o problema. Agora é finalmente possível obter uma correspondência de sombra previsível em circunstâncias desafiadoras


  • Tarifários do evento:
    Medicos Dentistas (Graduados pós 2017) 65.00€ Após 24 de Março 85€
    Medicos Dentistas (Graduados antes 2017) 90.00€ Após 24 de Março 105€
    Higienistas Orais, Técnicos de Prótese Dentaria e Assistentes Dentários 40.00€ Após 24 de Março 55€

    Desconto para sócios SPEMD: 20.00%


    Organização: Caec - carames advanced education center

    Patrocinadores:

    Imprimir
Suplemento Revista SPEMD - Congressos 2019
Agenda
mar
31

Noites SPEMD

Um mau dia no consultório: emergências médicas e dentárias na consulta - SUSPENSA DEVIDO À PANDEMIA PELO COVID-19

Lisboa

abr
21

Noites SPEMD

Patologia das Glândulas Salivares: conceitos-chave - SUSPENSA DEVIDO À PANDEMIA PELO COVID-19

Porto

abr
24

Congressos patrocinados SPEMD

Implant and Oral Rehabilitation Congress IORC2020 - ADIADO DEVIDO À PANDEMIA PELO COVID-19

Lisboa

abr
28

Noites SPEMD

Facetas cerâmicas - Dicas práticas - SUSPENSA DEVIDO À PANDEMIA PELO COVID-19

Lisboa

mai
29

Cursos SPEMD

Restaurações em resinas compostas

Porto - Sede do Conselho Regional do Norte

© 2000-2020. Todos os direitos reservados
Termos e Condições