Oral Lichen Planus Of The Gingiva And Its Management In A Group Of Portuguese Patients






Autores: Henriques, Inês; Pinto, Ana Catarina; Cardoso, Inês; Montenegro, Rita; Rebelo, Helena; Mano Azul, António
Instituição: Clínica Integrada de Medicina Oral
Valor da bolsa: 200.00€
Apresentação durante o evento 14th Biennial Congress of the European Association of Oral Medicine (EAOM) em Gothenburg, Suécia | 2018-09-27

Resumo:
Introdução
O Líquen Plano Oral (LPO) é a patologia da mucosa oral mais comum dos países da Europa Ocidental.

Objetivos
Avaliar e caracterizar o envolvimento gengival do Líquen Plano Oral e o seu tratamento.

Materiais e Métodos
Estudo retrospetivo por análise de fichas clínicas de 9595 doentes de uma clínica de medicina dentaria em Portugal, do período de 2005 a 2016. Foi efetuada uma análise descritiva e inferencial (Teste do qui-quadrado, significância de 5%).

Resultados
O LPO foi diagnosticado em 2,7% da população do consultório (n=263). 34,6% destes doentes apresentaram Líquen Plano oral eritematoso / erosivo / ulcerativo das gengivas – “Gengivite Descamativa do LPO” (n=91). 85% afetou mulheres e a média de idades dos doentes foi de 64 anos. A forma eritematosa / erosiva / ulcerativa do Líquen Plano Oral das gengivas afetou ambos os maxilares em 46% e ambos os lados em 71%. Em 9% dos doentes, a manifestação gengival de LPO era única, não existindo outras localizações afetadas. 67% (n=56) dos doentes apresentaram queixas na primeira consulta (de desconforto a dor grave ou problemas estéticos), pelo que iniciaram tratamento com imunossupressores tópicos (Grupo T=29) ou Tópicos associados a sistémicos (T + S=27).
A consulta de reavaliação foi em média às quatro semanas (n=48; T grupo:24; T+S grupo:24) e 83% dos doentes ou tinham melhorado ou estavam assintomáticos (T grupo:79%; T+S grupo:88%), sendo que 54% dos doentes do grupo T pararam o tratamento médico e iniciaram as consultas de reavaliação.

ConclusõeS
Após uma média de 2 meses (min=2 semanas – max:20 meses) todos os doentes encontravam-se assintomáticos e sem medicação (n=45, 3 drop-outs), sem diferenças estatisticamente significativas (p<0,05) entre o Grupo T e o Grupo T+S. Os nossos resultados serão comparados com os resultados da bibliografia internacional.


expandir

Anexos disponíveis

pdf 1.37 MB | Bolsa: poster ou comunicação oral
Noites SPEMD Parcerias SPEMD Formação SPEMD Listerine - Saúde oral Bolsa de Apoio à Investigação 2018 Patrocínio Científico SPEMD Revista SPEMD
Agenda
out
25

Noites SPEMD

Abordagem dos sectores posteriores dos maxilares na reabilitação com implantes

Aveiro

out
27

Cursos SPEMD

Restaurações diretas e indiretas à base de cerâmica - do primeiro ao último passo

Porto - Sede do Conselho Regional do Norte

out
30

Noites SPEMD

Regeneração Periodontal e Regeneração Óssea - O dia-a-dia clínico

Braga

nov
27

Noites SPEMD

As cefaleias no âmbito da consulta médico-dentária

Porto

dez
04

Noites SPEMD

Controlo comportamental na consulta de Odontopediatria

Lisboa

Junte-se a nós no Facebook e no Instagram
© 2000-2018. Todos os direitos reservados
Termos e Condições