Oral Lichen Planus Of The Gingiva And Its Management In A Group Of Portuguese Patients






Autores: Henriques, Inês; Pinto, Ana Catarina; Cardoso, Inês; Montenegro, Rita; Rebelo, Helena; Mano Azul, António
Instituição: Clínica Integrada de Medicina Oral
Valor da bolsa: 200.00€
Apresentação durante o evento 14th Biennial Congress of the European Association of Oral Medicine (EAOM) em Gothenburg, Suécia | 2018-09-27

Resumo:
Introdução
O Líquen Plano Oral (LPO) é a patologia da mucosa oral mais comum dos países da Europa Ocidental.

Objetivos
Avaliar e caracterizar o envolvimento gengival do Líquen Plano Oral e o seu tratamento.

Materiais e Métodos
Estudo retrospetivo por análise de fichas clínicas de 9595 doentes de uma clínica de medicina dentaria em Portugal, do período de 2005 a 2016. Foi efetuada uma análise descritiva e inferencial (Teste do qui-quadrado, significância de 5%).

Resultados
O LPO foi diagnosticado em 2,7% da população do consultório (n=263). 34,6% destes doentes apresentaram Líquen Plano oral eritematoso / erosivo / ulcerativo das gengivas – “Gengivite Descamativa do LPO” (n=91). 85% afetou mulheres e a média de idades dos doentes foi de 64 anos. A forma eritematosa / erosiva / ulcerativa do Líquen Plano Oral das gengivas afetou ambos os maxilares em 46% e ambos os lados em 71%. Em 9% dos doentes, a manifestação gengival de LPO era única, não existindo outras localizações afetadas. 67% (n=56) dos doentes apresentaram queixas na primeira consulta (de desconforto a dor grave ou problemas estéticos), pelo que iniciaram tratamento com imunossupressores tópicos (Grupo T=29) ou Tópicos associados a sistémicos (T + S=27).
A consulta de reavaliação foi em média às quatro semanas (n=48; T grupo:24; T+S grupo:24) e 83% dos doentes ou tinham melhorado ou estavam assintomáticos (T grupo:79%; T+S grupo:88%), sendo que 54% dos doentes do grupo T pararam o tratamento médico e iniciaram as consultas de reavaliação.

ConclusõeS
Após uma média de 2 meses (min=2 semanas – max:20 meses) todos os doentes encontravam-se assintomáticos e sem medicação (n=45, 3 drop-outs), sem diferenças estatisticamente significativas (p<0,05) entre o Grupo T e o Grupo T+S. Os nossos resultados serão comparados com os resultados da bibliografia internacional.


expandir

Anexos disponíveis

pdf 1.37 MB | Bolsa: poster ou comunicação oral

Patrocinadores:

Imprimir
Bolsa de Apoio à Investigação 2018 Patrocínio Científico SPEMD Parcerias SPEMD Formação SPEMD Revista SPEMD Comemorações de Santa Apolónia 2019 XXXIX Congresso Anual da SPEMD
Agenda
mar
16

Eventos

Comemorações de Santa Apolónia 2019

Mafra (Hotel a definir)

Junte-se a nós no Facebook e no Instagram
© 2000-2018. Todos os direitos reservados
Termos e Condições